As tendências do setor digital para 2017

O que esperar de 2017 para o setor digital? As apostas são muitas e estão focadas principalmente no aprimoramento da experiência do consumidor online e também na diversificação das possibilidades e estratégias de empresas que atuam no comércio eletrônico. Em 2016, por exemplo, 94% das empresas mantiveram ou aumentaram os investimentos em marketing digital. Esse indicador é reflexo do aumento no número de visitantes aos sites e e-commerce, sem falar na crescente onda de engajamento que as redes sociais têm proporcionado.

Tudo que engloba nosso mundo atualmente está ligado ao digital. “Estamos na era do micro-moment e das decisões imediatas e a cada ano as mudanças serão mais recorrentes”. Diante desse cenário e, após analisar os dados de demanda e de resultados obtidos em agências pode onde passou, Martins elenca. Veja quais são as 8 regras de maximização de performance e novas tecnologias que devem se destacar no ano de 2017:

-CRM focado na análise de dados real time do cliente – Tratar o relacionamento do cliente com base em dados real time com o objetivo de analisar de que forma impactar no canal, mensagem e momento de iniciar a comunicação junto ao público-alvo.

-Pagamento Transparente – Um dos maiores diferenciais do Uber tem sido promover o pagamento como uma necessidade interativa e transparente para o cliente. Isso passa credibilidade, independente do serviço. Empresas vão ter que dar mais atenção a esse quesito (conheça mais sobre nosso trabalho de mídia programática).

-Campanhas de Integração Off-line e On-line – Adquirir dados do consumidor deve ser a prioridade da empresa, não importa o meio. As novas campanhas off-line migram em grande parte para o cenário digital e cada vez mais deverão trazer resultados para o setor.

-ChatBots (ou chatterbot) – Os bots devem ser a nova moda. Em vez de brigar pelo espaço com outros APPs, a expectativa é de que veremos muitos bots de conversação espalhados no mercado. O ChatBots, por exemplo, é um programa de computador que simula um ser humano na conversação com as pessoas.

-Machine Learning – Uso de dados e redes neurais para automatizar algoritmos.

-Wereables – Se a integração entre on e off está cada vez mais eminente, os devices como Apple Watch, Samsung Clock e Nike Run devem crescer, já que eles são grandes pontes entre canais.

-Integração de meios de pagamentos – O avanço das fintechs deve levar à unificação dos meios de pagamentos como, por exemplo, o pagamento de uma conta via dispositivo móvel.

-Serviços como Produtos – Os melhores exemplos são Netflix e Spotify. Eles descontruíram o conceito de comprar música e filme como produtos e transformaram o comportamento do consumidor em serviço..

 Seu comentário será muito bem vindo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *