Você sabe o que é mídia programática?

Atualmente existem diversos sites que atraem diferentes tipos de audiência e que oferecem diferentes tipos de espaços para publicidade. No entanto, essa grande quantidade de espaços disponíveis também criou uma nova dificuldade. Afinal de contas, como saber qual o lugar ideal para eu colocar meu anúncio pelo menor preço possível?

A resposta a essa pergunta tem duas palavras: mídia programática. Neste artigo, vamos explicar exatamente o que é mídia programática, quais as vantagens para anunciantes e agências de publicidade, como funcionam as plataformas utilizadas nesse tipo de transação e como comprar um espaço publicitário de maneira totalmente automatizada. Confira!

O que é mídia programática?

Em linhas gerais, mídia programática é uma maneira automatizada de uma empresa  encontrar o melhor espaço para fazer um anúncio e adquirir esse espaço. Ou seja, já não há uma pessoa mediando a negociação entre o anunciante e o publisher: tudo é mediado por meio de um sistema, uma plataforma online.

Esse  conceito pode parecer estranho, mas existe um paralelo bastante popular no nosso dia a dia: vamos supor que você deseja comprar um livro. Para isso, você usa a internet para encontrar o melhor preço, o melhor prazo de entrega, o menor frete e as melhores condições de pagamento. Você faz a compra do seu livro em uma loja virtual, sem ter que conversar com nenhum vendedor ou interagir com o caixa do comércio. Pronto, você fez uma compra programática. No caso da mídia programática, a lógica é a mesma: você encontra a melhor solução de mídia utilizando apenas um software.

Como funciona a mídia programática?

Na compra de espaços de mídia tradicionais, o preço era definido pelo canal onde a propaganda seria exibida. Por exemplo: um anúncio de um minuto no horário nobre da TV, uma propaganda na quarta página de determinada revista semanal ou um spot de 30 segundos em uma rádio. O valor desse espaço levava em conta a projeção de audiência daquele canal: uma novela vespertina tende a atingir donas de casa, já desenhos animados têm como público principal crianças e pré-adolescentes. Já na mídia programática, se compra diretamente o perfil da audiência. Por exemplo: mulheres de 30 anos que frequentam academia, homens solteiros à procura do primeiro imóvel, ou  adolescentes que consomem séries em sites de streaming. A lógica, portanto, é invertida: você compra diretamente o perfil que   deseja atingir, e não um público hipotético.

Essa verdadeira revolução no modo de se comprar um espaço para anúncios só foi possível porque é possível coletar uma quantia muito maior de dados na web do que em meios tradicionais. Ou seja, o inventário de audiência dos publishings que se utilizam de vendas programáticas é muito mais assertivo e complexo; afinal, eles conseguem determinar quais pessoas frequentam determinado espaço virtual, por quanto tempo elas permanecem em um site, quais tipos de pesquisa elas fazem no Google e quais são seus interesses de compra. Tudo isso feito em tempo real e de forma totalmente automatizada. Dessa forma, o anunciante tem uma maior certeza de que ele realmente  irá atingir o público-alvo almejado.

Ficou com alguma dúvida?

Entenda aqui qual é a diferença entre Google Adwords e Midia programática.

Entre em contato conosco através dos comentário os abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *